Como manter o alinhamento com a cadeia de players sem gastar muito

Facebook0
LinkedIn
Share

Quando falamos sobre o setor da indústria farmacêutica estamos diante de um cenário de atuação altamente complexo, onde um dos principais desafios é garantir o alinhamento estratégico de toda a cadeia.

Composta por inúmeros interlocutores, como os canais de distribuição, proprietários de farmácias, balconistas, farmacêuticos, gestores, compradores, etc, a indústria farmacêutica tem uma enorme responsabilidade em treinar e desenvolver todos os players envolvidos para transmitir a mensagem de seus diversos produtos e medicamentos de maneira correta aos pacientes e consumidores finais.

Padronizar a informação em toda a rede de atuação tem se tornando um obstáculo tanto financeiro quanto de comunicação para estas empresas, pois há uma necessidade constante de treinamento e desenvolvimento da cadeia e de todo o universo que á compõe, principalmente quando existe ação abrangente e presença nacional das marcas. Esta operação é onerosa e muitas vezes não atende todas as necessidades do mercado de saúde e bem-estar.

Um exemplo desse alto custo é o uso de estratégias de execução e promoção presenciais nos PDVs. Colocar promotores de merchandising e equipes comerciais para visitar os pontos de vendas é oneroso, tanto pelos custos operacionais quanto pelos de legislação, e ainda, dependendo do painel, é uma estratégia pouco eficiente, já que os promotores têm pouquíssimo tempo para realizarem uma visita, sendo praticamente impossível cumprirem todas as tarefas e ações necessárias de maneira presencial.

Ainda justificando estes altos custo envolvidos no alinhamento da comunicação da cadeia de uma empresa de saúde e bem-estar podemos citar o alto volume de promoção das marcas e produtos ao mesmo tempo. Os envolvidos são bombardeados de informações diariamente e muitas vezes não conseguem repassar de maneira clara a estratégia do produto a quem realmente importa: o consumidor.

Diante de tudo isso, chegamos a uma conclusão: o treinamento e desenvolvimento dos players do mercado de saúde e bem-estar é essencial para gerar engajamento da marca com o consumidor final e por fim para o sucesso das vendas, mas continuar apostando apenas em métodos “tradicionais” de alinhamento da cadeia é inviável.

E agora? Como manter o alinhamento da estratégia no varejo?

Então, o melhor e mais certeiro caminho é investir em treinamentos flexíveis e digitais, que podem ser feitos on demand por qualquer participante da cadeia a qualquer momento.

Os treinamentos de educação à distância ou EADs são modelos auto-sustentáveis de aprendizagem, pois agilizam o processo de repasse de informação estratégico da empresa, amplia a atuação da empresa, ajuda a engajar os participantes e tem um custo que se paga com a operação.

Como os Programas de Educação Continuada e Treinamento a Distância funcionam?

Podendo ser usado como uma estratégia que complementa ou substitui ações de engajamento, orientação, lançamento, apresentação de novos produtos e até para treinamento de instruções de uso de um medicamento, os EADs podem ser modulados por temas, públicos e perfil varejista.

Os módulos podem ser executados para diversas finalidades, como:

  • Orientação aos balconistas e farmacêuticos sobre as características farmacológicas dos seus produtos.
  • Apresentação de técnicas de negociação e relacionamento comercial com os parceiros do varejo.
  • Treinamento sobre o uso correto das ações de exposição e merchandisng no PDV.
  • Orientar a farmácia e seus gestores quanto às recomendações ideais dos níveis de serviço para suas
  • apresentações.
  • Transmitir aos parceiros informações de mercado, concorrência, comportamento do shopper e consumo de suas marcas.
  • Apresentar suas campanhas e ações de comunicação na mídia e redes sociais.

É tão vantajoso investir em treinamento a distância que um estudo publicado pela Clarity Solution mostrou que a cada 1 dólar que uma empresa investe em treinamento é possível obter um retorno de até 30 dólares em ganhos de produtividade.

Cerca de 40% das 500 maiores empresas globais listadas na Fortune utilizam algum tipo de tecnologia educacional. Ou seja, é sem dúvida, uma fórmula de sucesso e uma maneira de garantir que sua estratégia seja refletida para toda a cadeia.

Treinar e desenvolver pessoas, independente de qual área que ela atua é uma estratégia-chave para manutenção dos funcionários, engajamento, redução de custos com turnover e sucesso da estratégia.

Portanto, considere as estratégias de educação a distância no seu modelo de negócio e passe a ter toda a cadeia alinhada, falando a mesma língua e sem gastar muito.

Facebook0
LinkedIn
Share

Deixe seu comentário